Conteúdo que noticia corte da metade do salário dos servidores estaduais

Por: Wanderson Camêlo

Uma informação dando conta de que o Governo do Estado vai cortar pela metade o salário dos servidores públicos viralizou nas redes sociais. Inclusive o conteúdo usa indevidamente o logotipo do Portal G1 para ludibriar a população. Diante do conteúdo, a COAR classifica-o como conteúdo impostor, pois utiliza a marca de um portal para noticiar uma informação falsa.

O próprio chefe do executivo estadual, Wellington Dias, tratou de desmentir a matéria mal-intencionada, que usa uma como fundo cópia da página do portal G1 para tentar passar credibilidade.

Em postagem no seu perfil pessoal no Instagram, Wellington escreveu: “Esta suposta notícia é mentirosa. Nem mesmo está veiculada no referido portal. [portal G!]”.

Perfil do Governador Wellington Dias

“Infelizmente, apesar de toda a união e empenho que o Piauí tem mostrado ao mundo, alguns tentam plantar desespero e mentiras com Fake News. Ajude a combatê-las não espalhando e sempre confirmando com os veículos oficiais de informação. Trabalhamos sempre com a transparência”, acrescentou Dias.

Na postagem o governador piauiense exibe um print da notícia falsa sem exibir nitidamente o perfil que a compartilhou (em um grupo de WhatsApp).

Falsa informação sobre arrastão em supermercado de Teresina

Por: Marta Alencar e Wanderson Camêlo

A COAR recebeu na manhã deste sábado (28), um conteúdo que vem circulando há alguns dias sobre um suposto arrastão em um supermercado, localizado na Av. Homero Castelo Branco, na capital piauiense.

Conteúdo compartilhado por grupos de WhatsApp em Teresina

A informação checada pela equipe COAR conta com vários equívocos. O primeiro deles é com relação a um suposto arrastão em supermercado na Avenida Homero Castelo Branco e de assaltos a entregadores naquela região. Conforme apuramos juntamente com o delegado Ademar Canabrava, responsável pelo 12° Distrito Policial de Teresina, a informação é totalmente FALSA.

“Não existe isso, faz é dias que isso circula. É uma fake news. Não passa de molecagem. Os arrombamentos de lojas no Centro que tiveram foram moradores de rua [e não presidiários que foram soltos em indulto recentemente. Na rua não vem tendo nada, não tem gente. Então não tem como ter arrastão. Faz dias que o pessoal espalha fake sobre arrastão na cidade”, informou o delegado.

A respeito da soltura de presos recentemente na Penitenciária Major César, a assessoria da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) confirmou a informação de que houve a soltura SIM de 512 presos do regime semiaberto para prisão domiciliar conforme decisão do Juiz da Vara de Execuções penais de Teresina, Vidal de Freitas Filho, desde o dia 20 de março.

Com base na PORTARIA N° 4/2020, o juiz declara que diante dos casos da Covid 19 registrados no Piauí, decidiu seguir a recomendação do Conselho Nacional de Justiça, que editou a Recomendação nº 62, de 17.03.2020, a qual, em seu art. 5º, III, para que os juízes concedessem prisão domiciliar a todos as pessoas presas em cumprimento de pena em regime aberto e semiaberto, mediante condições, sob monitoramento eletrônico, até o dia 31 de maio, a todos os apenados com processo de execução penal que se encontram atualmente cumprindo pena em regime semiaberto na Colônia Agrícola Major Cesar Oliveira, Penitenciária Feminina de Teresina, Unidade de Apoio ao Semiaberto, Penitenciária José Ribamar Leite, Penitenciária Irmão Guido e Unidade de Apoio Prisional.

Confira a Portaria na íntegra:

Apesar da soltura de presos do regime semiaberto, o delegado Ademar Canabrava, responsável pelo 12° Distrito Policial de Teresina, confirmou que não há registros de que essas pessoas tenham praticado qualquer crime na região, conforme citado no conteúdo que a COAR apurou. A assessoria da Secretaria de Segurança Segurança Pública do Piauí confirmou um aumento de assaltos e crimes durante a quarentena no Estado, mas que não estão relacionados diretamente ao boato que circulou acima.

Informação enganosa sobre Cadastramento do Auxílio Emergencial do Governo Federal

Vários usuários enviaram para a COAR, um conteúdo que circula no aplicativo de mensagens instantâneas, WhatsApp, de que o Governo Federal liberou um cadastramento de um Auxílio Emergencial do Governo. No entanto, o conteúdo é enganoso.

Conteúdo fraudulento compartilhado por golpistas

O conteúdo repassado, inclusive, conta com um link, que não abre. A COAR checou:

Checamos o link compartilhado por golpistas

A COAR entrou em contato com a Câmara dos Deputados, que informou o texto segue para apreciação e votação no Senado. Mesmo diante do cenário de pandemia, ainda não existe data definida para a análise da proposta. Caso aprovado pelos senadores, o texto do auxílio emergencial ainda dependerá de um decreto do presidente Jair Bolsonaro determinando como ocorrerá o pagamento.

Apesar da informação ter sido compartilhada por usuários no Piauí, o conteúdo já havia sido checado inclusive pela seção Fato ou Fake do Portal G1 conforme pesquisamos.

Golpe no WhatsApp: Enganosa mensagem que alerta para versão Gold do aplicativo

Por: Marta Alencar

A popularidade das redes sociais, em especial do aplicativo de mensagens, WhatsApp, tem sido há tempos aproveitada para aplicação de golpes. Circula entre grupos do aplicativo, um conteúdo que alerta aos usuários para instalação sobre uma espécie de versão Premium do aplicativo, WhatsApp Gold. Inclusive esta mensagem circula desde o ano passado, mas voltou a propagar novamente esta semana.

Hoje a Globo estava falando sobre o Whatsapp Gold e é verdade. Existe um vídeo que será lançado amanhã no WhatsApp e se chama Gambarelli. Não abra!! O vírus vai para o seu telefone, sua conta bancaria será zerada e seu telefone bloqueado para sempre! Avisem os seus contatos, amigos e colegas!! Se você receber uma mensagem para atualizar o Whatsapp Gold, não abra! Eles acabaram de anunciar que o vírus é sério. Envie para todos.

Desde 2016 existem boatos sobre a aquisição do WhatsApp Gold ou de estratégias para evitar no golpe, ou seja, até em uma eventual solução reside o problema. Mensagens que servem de alerta as vezes vem acompanhadas de links maliciosos que redirecionam a páginas de malwares. A verdade é que não existe uma versão do WhatsApp Gold e todas as medidas de segurança são adotas pelo Facebook, detentor da ferramenta.

A COAR entrou em contato com a empresa WhatsApp, que declarou que a informação é totalmente falsa, inclusive deu algumas dicas para os usuários aprenderem a detectar fake news e boatos:

1 – Questione informações que causem estranhamento ou desconforto.

2 – Sempre verifique informações que pareçam pouco prováveis ou inusitadas.

3 – Repare se as mensagens contêm erros de ortografia.

4 – Verifique cuidadosamente toda foto, mídia e link contidos na mensagem.

5 – Pesquise e verifique a informação usando outras fontes.

O doutorando, com MBA em ciência da informação com ênfase em Big Data, Pedro Alexandre Cabral alerta para os cuidados com o uso do WhatsApp e outras ferramentas digitais.

“Em tempos de crises surgem muitos oportunistas em relação a criação de aplicativos. Na verdade são aplicativos criados por crackers (pessoas que utilizam seu grande conhecimento na área para quebrar códigos de segurança) pra pegar informações e coletar dados pessoais para usar em benefício próprio. A dica que a gente pode oferecer é que as pessoas tenham cuidado, não clicar em links desconhecidos, não informar dados bancários, ou seja, não nutrir essas plataformas com dados pessoas e evitar clicar em links de empresas que este usuário não teve contato”, explica Pedro.

Pesquisa do Panorama Mobile Time/Opinion Box, realizada em fevereiro deste ano aponta que o aplicativo está instalado em 99% dos dispositivos brasileiros. Para se ter uma ideia, trata-se do maior percentual já registrado pelo aplicativo em cinco anos que a pesquisa é realizada sobre o mensageiro móvel no Brasil anos dessa pesquisa. Em tempos que o confinamento aumentou em decorrência do coronavírus, o Facebook destaca que “durante essa emergência, estamos fazendo todo o possível para manter nossos aplicativos rápidos, estáveis e confiáveis”, assinala a companhia.

A COAR verificou a informação e a classifica como ENGANOSA, diante da investigação que foi feita.

Agendamento para Auxílio Cidadão durante crise da Covid-19 é #mentira

Está circulando em grupos de WhatsApp, uma corrente afirmando que o Governo Federal iniciou um agendamento para pagamento de um benefício à população durante a pandemia da Covid-19:

O conteúdo é falso

A mensagem é acompanhada da seguinte imagem:

É verdade, que há uma medida de auxílio aos trabalhadores, aprovada pela Câmara Federal. No entanto, o valor estipulado é de R$ 600 e ainda precisa ser apreciada pelo Senado e sancionada pelo presidente da República. Sendo assim, a informação sobre agendamento para o pagamento do benefício é FALSA.

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira (26) o pagamento de um Auxílio emergencial por três meses. Fonte: Agência Câmara de Notícias

Conforme informações coletadas na Agência Câmara de Notícias, o Poder Executivo poderá prorrogar o pagamento do auxílio durante a pandemia.

Requisitos

Para ter acesso ao Auxílio, a pessoa deve cumprir, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:
– ser maior de 18 anos de idade;
– não ter emprego formal;
– não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outro programa de transferência de renda federal que não seja o Bolsa Família;
– renda familiar mensal per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total (tudo o que a família recebe) de até três salários mínimos (R$ 3.135,00); e
– não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70.

A pessoa candidata deverá ainda cumprir uma dessas condições:

– exercer atividade na condição de microempreendedor individual (MEI);
– ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social (RGPS);
– ser trabalhador informal inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico); ou
– se for trabalhador informal sem pertencer a nenhum cadastro, é preciso ter cumprido, no último mês, o requisito de renda citado acima (renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos).

Será permitido a duas pessoas de uma mesma família acumularem benefícios: um do auxílio emergencial e um do Bolsa Família. Se o auxílio for maior que a bolsa, a pessoa poderá fazer a opção pelo auxílio.

Jogador do Flamengo não doou R$1 milhão para Hospital em Picos

Atualizada às 18h

Com ampla repercussão do trabalho de reportagem da COAR à respeito do valor doado pelo jogador Rêne Rodrigues do Flamengo, a organização da vaquinha prestou esclarecimentos através de nota:

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é nota-1-1.jpg
Nota na íntegra
Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é nota-2.jpg
Nota na íntegra

Entenda o caso

Um página relacionada à torcedores do Flamengo divulgou em seu perfil no Twitter, na tarde de quinta-feira (26), que o lateral direito do time carioca, Renê Rodrigues, teria feito uma doação de R$ 1 milhão, para uma campanha virtual de arrecadação de recursos para o Hospital Regional Justino Luz (HRJL), na cidade de Picos, terra natal do jogador. A informação, no entanto, é FALSA.

Página relacionada ao Flamengo que divulgou a doação do jogador Renê

A COAR apurou a vaquinha virtual, mobilizada pela Loja Maçônica da cidade para a aquisição de equipamentos de proteção individual, necessários à prevenção e cuidados com a proliferação do novo coronavírus (Covid-19). No total, a inciativa pretende arrecadar R$ 100 mil, ou seja, muito menos que a quantia da doação divulgada pela postagem.

Um dos organizadores da iniciativa, o maçom Ítalo Batista confirma que Renê, assim como Rômulo Borges, outro atleta piauiense que atua no Grêmio, colaborou com a ação, mas não com o valor compartilhado por mais de 900 usuários no Twitter. Ele conta que, por conta do boato, muitas pessoas deixaram de contribuir com a campanha, e reforça o pedido de solidariedade.

Até esta sexta-feira (27), a vaquinha virtual já havia arrecadado cerca de R$ 40 mil reais, com a colaboração de 156 apoiadores.

De acordo com os últimos dados divulgados pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde do Piauí (CIEVS-PI), o município de Picos não havia registrado nenhuma notificação de contaminação de Covid-19, mas possuía casos suspeitos sendo monitorados.

Governador declara abertura do comércio para segunda-feira (30)?

Divulgação da seguinte mensagem no WhatsApp: “Governador acabou de falar e disse que as notícias no Piauí são boas e que algumas atividades podem voltar a funcionar a qualquer momento de acordo com as reuniões que vão ter“, circulou nesta quinta-feira (26) juntamente com um áudio, onde o governador Wellington Dias teria concedido uma entrevista ao jornalista Natanael Sousa da rádio CBN.

Segundo o governador, o número de casos de Covid-19 no Piauí é pequeno comparado ao de outros estados e que é possível, sim, os trabalhadores de determinados setores retornarem às suas atividades com equipamentos adequados.

“Melhorou a situação do Estado. Estamos num número dentro do Brasil relativamente baixo. Nenhum óbito. Precisamos melhorar a rede de confecção de materiais ou a condição da compra de material protetivo. Já estamos fabricando máscaras. Vamos acelerar. Ora se eu tenho uma pessoa trabalhando na construção civil de forma protegida, ela pode funcionar do mesmo jeito do comércio ou salão de beleza. Estou discutindo com muita responsabilidade com a equipe técnica e havendo segurança no passo que vamos dar, nós vamos dar”, afirmou o governador em áudio.

Diante da repercussão, o governador tratou logo de desmentir a notícia de que estaria propenso a providenciar a abertura parcial do mercado local já na próxima segunda-feira, assim como defende o presidente da República, Jair Bolsonaro. A informação foi dada por meio da assessoria de imprensa de Dias.

De acordo com o petista, o que está previsto para o próximo dia 30 é apenas uma reunião com o Comitê de Organização de Emergência (COE) para avaliar o resultado das medidas adotadas para a resolução da problemática envolvendo contaminações por Coronavírus no estado. Na oportunidade serão definidas novas ações com intuito de resolver o problema envolvendo o Covid-19.

A polêmica em torno de Wellington Dias surgiu depois de entrevista coletiva por vídeo-conferência hoje, onde o governador comemorou os primeiros resultados do combate à pandemia de coronavírus no Piauí.

Grupo Claudino irá construir Hospital para pacientes da Covid-19 em Teresina?

Recebemos no Whatsapp, a seguinte informação: “Grupo Claudino acaba de anunciar a construção de um hospital para atender em prioridade as vitimas do corona vírus no Piauí, o hospital funcionará no prédio aonde funcionou o hiper bom preço na Av frei serafim. Dê parabéns o empresário João Claudino👏👏👏”. A COAR verificou e a informação é falsa.

Foto: Reprodução/ Ascom PMT

De acordo com a assessoria da Prefeitura Municipal de Teresina, a informação é inverídica. Na verdade, o Grupo Claudino cedeu o espaço para que a Prefeitura possa equipar e fazer as adequações necessárias para receber pacientes de casos mais leves da Covid-19, conforme apuramos com a Ícone Comunicação, empresa responsável por assessorar o Grupo Claudino.

O Prefeito Firmino Filho está estudando locais inabitados na cidade para montar uma rede de saúde para um possível agravamento do coronavírus. A ideia é transformar locais em hospitais de campanha a serviço de pacientes com casos médios ou leves do vírus.

Escrito por: Marta Alencar

Conteúdo informando sobre datas exatas de pico de coronavírus

Recebemos uma informação de um leitor da COAR de que haveria um período exato de pico de casos da Covid-19 no Piauí a partir de quinta-feira (26). No entanto, a informação original não foi divulgada no Estado.

Mensagem divulgada nas redes sociais

Investigamos e encontramos a mensagem no perfil de uma pousada localizada em São Domingos, município de Goiás. Quanto ao período de 26 de março a 3 de abril descritos na postagem, a COAR verificou que os dias exatos citados não procedem com dados estimados pelo Ministério da Saúde, Secretaria de Saúde de Goiás e muito menos relacionados ao pico de casos no Piauí.

Vale lembrar que o Ministério da Saúde informou a respeito dos disparos de casos no país nos próximos meses. Inclusive o médico infectologista Dr. José Noronha, membro do Comitê de Operações de Emergência, através da assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi), afirmou que infecções por coronavírus deverão disparar no Brasil entre os meses de abril a junho.

Noronha reforça que a Sesapi  vem acompanhando o aumento do número de casos no Estado. E que assim como no Piauí, vários estados vêm apontando estratégias de restrição de circulação para diminuir a velocidade de contágio do vírus, mas que isso realmente pode variar de região em região.

Até agora são 8 pessoas infectadas com o novo coronavírus, residentes em Teresina. Houve também um aumento do número de casos suspeitos de 148 para 160. No Piauí todo, são 302 notificações e nenhum óbito confirmado. 

Conforme apuramos, a informação é IMPRECISA a respeito do período exato (26 de março a 3 de abril) quanto ao pico de contágio no país, já que há variação da doença em vários regiões. E não há informação precisa sobre datas exatas de contágio e, sim de meses que poderão apresentar um maior aumento de pessoas infectadas.

Escrito por: Marta Alencar